A Ciência da Curiosidade

A Ciência da Curiosidade

Um estudo realizado por Ranganath, psicólogo da Universidade da Califórnia, descobriu que o cérebro humano retém melhor as informações quando estamos curiosos.

Na pesquisa, Ranganath pediu a 19 voluntários que lessem mais de 100 perguntas triviais, como “O que significa o termo ‘dinossauro'” ou “Qual canção dos Beatles durou mais tempo nas paradas de sucesso?”. Em seguida, os participantes foram convidados a dar às perguntas uma classificação, em escala, sobre o quão curioso eles ficaram sobre as respostas.

Surpreendentemente, descobriu-se que ao monitorar a atividade cerebral dos participantes usando uma máquina de ressonância magnética, a área do cérebro que regula o prazer e o sentimento de recompensa permaneceu aceso quando a curiosidade do participante foi aguçada. O mais incrível foi o aumento da atividade no hipocampo, que é a área responsável pela criação de memórias.

Portanto, a área do cérebro que motiva as pessoas a saírem e buscarem recompensas é a mesma de quando estamos curiosos. Além disso, quando esse circuito é ativado, nossos cérebros liberam uma substância química chamada dopamina, que nos dá a sensação de prazer. Além disso, a dopamina é responsável pelo aumento das conexões entre as células que estão envolvidas na aprendizagem.

 

E se estiver chato? Sem problemas, apenas seja curioso!

Um aspecto interessante no estudo de Ranganath foi que durante todo o experimento, os pesquisadores fotografaram os rostos dos participantes de forma aleatória, sem lhes dar qualquer explicação. Depois, foi comprovado que os participantes mais curiosos foram aqueles que se s cuja curiosidade já era piqued foram os participantes que lembrou os rostos o melhor.

Os pesquisadores ficaram surpresos ao descobrirem que foram os cérebros dos curiosos que foram melhores em todos os testes e memorizaram até mesmo as informações mais chatas!

 

O que ainda não sabemos

Por que algumas pessoas são naturalmente mais curiosas do que outras? Os cientistas ainda estão a pesquisar sobre muitos fatores, incluindo estresse, envelhecimento e certas substâncias que afetam o processamento da dopamina no cérebro.

A curiosidade é como uma coceira mental e a única maneira de aliviá-la é procurar novos conhecimentos. Esta coceira mental é um impulso que é compartilhado pelos seres humanos e é considerada uma habilidade importante que pode nos ajudar a fazer as melhores previsões sobre o que acontecerá em nossas vidas.

 

 

 

Adaptado de: http://www.scienceofpeople.com/2017/01/science-curiosity/

0 Comments

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WordPress spam blocked by CleanTalk.