A importância de se “pivotar”: aprendendo com o filme “The Founder”. [Série especial de artigos]

A importância de se “pivotar”: aprendendo com o filme “The Founder”. [Série especial de artigos]

A importância de se “pivotar”: aprendendo com o filme “The Founder”.

Imagine que você teve uma ideia brilhante e resolveu abrir um negócio. Beleza! No entanto, os clientes não estão comprando seu produto ou não estão satisfeitos e, mesmo que você esteja vendendo, ainda não consegue cobrir seus custos. O que você faz? Insiste na ideia ou muda de rumo?

Muda de rumo, certo?

Essa mudança de rumo chama-se pivotar. Lembre-se desse termo, afinal, sua aplicação pode ser a diferença entre fechar as portas de seu negócio ou fazê-lo crescer.

A palavra “pivotar” significa girar. Logo, quem pivota no mundo dos negócios está mudando sua estratégia. Está explorando outras oportunidades para testar suas hipóteses, tomando o cuidado de não perder a posição que conquistou.

Pivotar não é simplesmente mudar da água para o vinho ou do vinho para a água. É estudar possíveis oportunidades sem perder a essência do negócio. É corrigir o seu modelo de negócios para validar novas hipóteses. O empreendedor e criador do método Lean Startup, Eric Ries diz que se o negócio tem resultados insatisfatórios ou está estagnado, abandonar a ideia não é o melhor caminho. Você precisa analisar o mercado, aplicar o que aprendeu e pensar em novos rumos. Lembre-se de que pivotar não é jogar fora suas ideias anteriores. 

Para pivotar, você precisa realizar testes, identificar falhas e principalmente ajustar seu modelo de negócios. Não há uma fórmula que ensina qual é o momento certo de pivotar. Tudo depende da sua atenção aos clientes, ao mercado e aos concorrentes e de sua vontade de mudar.

O filme “The Founder” nos mostra um exemplo incrível da importância de se pivotar e de redesenhar seu modelo de negócios. Assista à cena e tenha uma verdadeira aula de empreendedorismo. (Quem disse que assuntos sérios precisam ser chatos?)

Alguns dos meus principais insights sobre o filme (não só sobre essa cena):

  • Você só constrói um modelo de negócios sólido depois de prototipar, desenhar e testar suas hipóteses.
  • Não é sobre pivotar uma vez e pronto. Você precisa estar disposto a pivotar até acertar. Veja quantas vezes os irmãos McDonald pivotaram seu modelo de negócios.
  • Se ligue no “job to be done” antes de tomar a decisão de pivotar, ou seja, na tarefa que seu cliente precisa realizar com a ajuda de seu produto. Lembre-se de que suas decisões precisam ser tomadas com foco no cliente. Jovem, o que seu cliente realmente quer? Se você assistir ao filme, observará que quando os irmãos têm a resposta para essa pergunta, o McDonald’s decola!
  • Se liga: o menos pode ser mais! Em um certo momento da trajetória, os irmãos resolveram reduzir a gama de opções de lanche. Essa ideia é simples, mas genial. E beneficia não só a empresa, mas o cliente, que “sofrerá” menos no momento de fazer sua escolha.

 

Espero que tenha curtido as dicas! Até o próximo artigo! 😉

0 Comments

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WordPress spam blocked by CleanTalk.