Como a Sony conquistou a Europa

Como a Sony conquistou a Europa

“Em momentos de dificuldades, a imaginação é mais importante que o conhecimento.”
Albert Einstein

A Europa estava devastada pela Segunda Guerra Mundial. Havia um grande número de desempregados e o mercado ia de mal a pior.

Na Alemanha, um homem chamado Komashio lutava contra todas as possibilidades em busca de um futuro melhor. Ele tinha duas características que o desfavoreciam em potencial. Primeira: era vendedor, o que naturalmente gerava aversão na maioria das pessoas, que consideravam esses profissionais insistentes e invasivos. Segunda: era japonês, o que era um grande desafio, pois na época, os europeus colocavam toda a culpa de sua miséria no Japão. Para eles, os japoneses eram responsáveis por todas as mortes, sofrimentos e destruição causados pela guerra.

O oriental, com uma coragem de ferro, enfrentava portas fechadas, hostilidade, preconceito e até mesmo ameaças. Para completar seus infortúnios, revendia rádios japoneses. Naquele período, os eletrônicos da Ásia eram sinônimo de péssima qualidade.

Apesar de toda a dificuldade, sabia que se voltasse para seu país enfrentaria barreiras ainda maiores. Então, seguia em frente e acreditava que as coisas iriam melhorar, pois era do tipo que nunca desistia.

Certo dia, ao receber uma resposta negativa do proprietário de uma loja de pianos, teve a ideia de pagar para que seus produtos fossem expostos na vitrine da loja. Komashio tinha pouco dinheiro, mas precisava arriscar. O comerciante aceitou a proposta, em troca do pagamento antecipado e prometeu expôr os rádios por uma semana.

O japonês estava imerso em um misto de animação e preocupação, pois apesar de ser a primeira vez que divulgava seu produto daquela maneira, sabia que se essa ideia fracassasse, teria de retornar ao seu país. Sentou-se em um local próximo à loja de modo que avistasse a movimentação dos clientes. Para sua decepção, as pessoas não davam a mínima para seus rádios.

Com pouquíssimos recursos no bolso, não podia investir em propagandas. Estava pensando em qual rumo tomaria quando avistou um grupo de estudantes barulhentos. Ele deu um leve sorriso, pois sabia que havia acabado de ter uma ideia brilhante.

Foi até os estudantes e perguntou se poderia fazer uma demonstração do funcionamento de seus rádios. Os garotos aceitaram, pois estavam sem nenhum passatempo no momento. Quando demonstrou toda a potência e funcionalidades dos aparelhos, perguntou quem havia gostado e aceitaria promover os produtos. A maioria levantou a mão, pois como todos os estudantes de todas as partes do mundo, estavam com os bolsos vazios.

Em troca de uma pequena quantia, pediu que fossem até a loja, um por um, pedissem para ver os rádios, elogiassem sua qualidade e tecnologia, comprassem uma unidade, com o dinheiro que ele mesmo daria, e o levassem de volta para ele.

Você pode estar achando absurdo, mas foi dessa forma que a Sony entrou no mercado europeu.

Rapidamente, os boatos sobre os rádios se espalharam e clientes reais começaram a se interessar e comprar os aparelhos. Komashio foi recebido pelo comerciante com um grande sorriso e com o pedido de mais rádios. A estratégia foi repetida nas principais cidades da Europa e também foi um sucesso.

Moral da história: Boas doses de persistência, criatividade e imaginação podem fazer toda a diferença.

 

(Adaptado do livro “Oportunidades disfarçadas” de Carlos Domingos) 

Foto: UOL Notícias

0 Comments

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WordPress spam blocked by CleanTalk.