Você já ouviu falar em bootstrapping? Saiba tudo sobre essa arte do mundo do empreendedorismo.

Você já ouviu falar em bootstrapping? Saiba tudo sobre essa arte do mundo do empreendedorismo.

Você já ouviu falar em bootstrapping?

Esse é um termo derivado do Inglês e apesar de ser complexo para se traduzir, é muito simples de se entender. Ele se refere à criação de uma empresa apenas com recursos próprios, sem investimentos externos. Isso implica que se há alguma entrada de lucro na empresa ela deriva dos primeiros clientes.

Se formos traduzir a palavra “bootstrap”, descobriremos que ela significa “alça de bota”, aquela alça que fica na parte de trás de botas de cano alto que, se a puxarmos, ela nos ajuda a calçá-la com mais facilidade.

Já a expressão “bootstrapping” quer dizer algo como  “levantar a si próprio pelas alças da bota” e surgiu para designar tarefas impossíveis, como por exemplo, pular um obstáculo alto puxando suas próprias botas com as mãos.  Que loucura! Por essa metáfora, observamos que fazer  “bootstrapping” em sua empresa tem a ver com o processo do seu negócio alavancar a si próprio. Mas tenha calma, isso não é uma tarefa impossível como parece. Adiante, lhe daremos dicas para diminuir os erros nesse processo.

Mais que um ato de criar um simples produto para pagar as contas de sua empresa, aplicar esse conceito requer seriedade e que você dê o seu melhor como empreendedor. Essa decisão foi adotada no início de grandes empresas, como a Microsoft, que deu seus primeiros passos mediante o esforço e empenho de sua primeira equipe.

Dicas para se executar a arte do “bootstrapping”

1. Sim ao fluxo de caixa, não à lucratividade.

 

Empreendedores conseguem se virar em qualquer cenário, principalmente se não tiverem escolha. Ao adotar esse estilo, significa que você deve gerenciar seu negócio para obter fluxo de caixa, não lucros que só aparecem no papel, expansão ou conquistar espaços no mercado.

As principais características desse tipo de negócio são: ciclos de vendas curtos, prazos de pagamentos curtos, propaganda boca a boca e exigência baixa de capital para iniciar a empresa.

Mas o que significa gerenciar para obter fluxo de caixa? Significa dar uma importância menor a vendas que geram renda significativa mas que demoram a ser pagas. Além de significar aumentar o prazo de pagamento para as compras da empresa.

Na teoria, parecerá que sua empresa é menos lucrativa, mas isso não é prioridade. Lembre-se de que gerenciar para obter fluxo de caixa imediato é um processo temporário, apenas até você conseguir se equilibrar.

2. Comece sua previsão de baixo para cima.

Empreendedores que escolhem alavancar sua empresa com seus próprios recursos não começam a fazer previsões de cima para baixo. Ao invés disso, eles começam a prever com variáveis reais, começando de baixo. Comece com o número de clientes que pode captar por dia, quantos são clientes potenciais, quantos dias irá trabalhar por ano, até chegar ao volume de vendas que fará no seu primeiro ano.

3. Feito é melhor que perfeito.

Crie seu produto ou serviço e lance no mercado. Depois aperfeiçoe, mas faça. Esse é o ponto mais importante.

4. Invista em novos talentos.

No momento de recrutar pessoas para a sua equipe esqueça os veteranos, aqueles que têm experiência comprovada. Invista em pessoas jovens e inexperientes mas que possuem muita energia e talento.

Confira algumas razões para ter feito essa escolha.

5. Concentre-se na função.

Quando precisar fazer algum gasto, concentre-se na função ao invés da forma. Os fornecedores, por exemplo, são responsáveis pelos maiores gastos de sua empresa. Confira algumas dicas para não errar:

  • Escolha um fornecedor especializado no tipo de trabalho que você precisa.
  • Entenda que às vezes é melhor pagar mais caro.
  • Verifique as referências de seus fornecedores.
  • Negocie tudo.
  • Trabalhe com fornecedores que você goste.

 

6. Lucre a partir de sua magia.

Fuja do “mais do mesmo” e lucre a partir de sua magia, seu diferencial. Procure responder às questões:

  • Que valor só a minha empresa entrega?
  • Nossos clientes compram nosso produto devido a algumas funcionalidades que ele oferece ou pela maneira como nós integramos cada funcionalidade para oferecer uma solução completa para o problema?
  • Quantos processos podemos executar bem?
  • Há outras empresas que podem realizá-los melhor que nós?

 

7. Vá direto ao consumidor.

A melhor maneira de obter retorno sobre a qualidade de seus produtos ou serviços é ir direto ao seu cliente. Por isso, nesse primeiro momento o ideal é que você evite contratar revendedores, pois isso dificultará o seu acesso ao cliente final e fará com que você tenha mais gastos. Ouça seu cliente, faça melhorias em seu negócio e só depois pense em outras formas de distribuição.

Como você notou com a leitura desse artigo, a arte do bootstrapping exige o foco no cliente desde o primeiro momento. Por isso, é fundamental que você os ouça e valide todas as suas hipóteses com eles. Você sabe que empreender é uma aventura, logo aplicar o “bootstrapping” deixará tudo ainda mais emocionante. E aí? Animado para começar?

Inspirado no livro: “A arte do começo”, de Guy Kawasaki.

0 Comments

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

WordPress spam blocked by CleanTalk.