Comunicação Não-Violenta, de Marshall B. Rosenberg

Comunicação Não-Violenta, de Marshall B. Rosenberg

Comunicação Não-Violenta, de Marshall B. Rosenberg

Todos os dias, nos comunicamos com muitas pessoas diferentes: familiares, amigos, colegas de trabalho, clientes. Mas, infelizmente, muitas dessas conversas acabam mal ou nos deixando algum sentimento negativo.

Isso não deveria acontecer, não é mesmo? Mas, sabia que o segredo para evitar essas situações está no conceito de Comunicação Não-Violenta, o que pode ser explorado a partir desse livro incrível.

Se aprofundar nesse conceito e aplicá-lo em sua vida cotidiana é o que fará você melhorar todos os seus relacionamento e se conectar de uma forma mais verdadeira com as pessoas.

Na obra, você aprenderá pontos importantes, como:

-A melhor forma de reagir quando alguém lhe diz: “você é a pessoa mais egoísta que eu já conheci “.

-Porque você deve manter suas observações separadas de suas avaliações.

-O que é preciso aprender para se comunicar com compaixão.

-O que é comunicação alienada.

-O que o impede de exercer a compaixão.

-A Comunicação não-violenta nada mais é que uma forma de de comunicar com compaixão.

-Aprenda a expressar seus sentimentos.

-Assuma a responsabilidade por seus sentimentos.

-Aprenda a identificar as necessidades na raiz dos sentimentos.

-Expresse o que você espera do outro para ajudar a atender às suas próprias necessidades.

-Use a comunicação não-violenta como uma forma de evitar os julgamentos.

-Quando você ouvir com empatia, entenderá os sentimentos, necessidades e pedidos do outro.

-A comunicação não-violenta é uma ferramenta poderosa para resolver problemas.

A comunicação não-violenta é um método para reduzir os conflitos em nossas relações interpessoais. Através do exercício da compaixão em cada palavra que falarmos e do ouvir as necessidades do outro (incluindo as nossas) nós, aos poucos, podemos fazer do mundo um lugar melhor.

Na próxima vez que ficar com raiva, respire fundo e pergunte a si mesmo “por que estou com raiva?”, em vez de “de quem estou com raiva?”. Assim, você abordará o sentimento de raiva pela raiz e estará ciente de sua causa e possíveis soluções. Você está com raiva por algum motivo que não é as pessoas. Pensando dessa maneira você recupera o controle da situação e age da maneira que seja coerente com sua identidade.

 

Compre aqui: http://amzn.to/2oC6t50

 

March 30, 2017